Logótipo IVDP
Wines of Portugal
Loja do Porto
Follow me on Twitter
Facebook
Mapa do site
Saphety
O IVDP é membro do “Center for Wine Origins” nos Estados Unidos.
Símbolo de Acessibilidade à Web [D]
Em conformidade com o nível 'AA' das WCAG 1.0 do W3C
Página Inicial > Vinhos > Vinhos do Porto > Enologia > Processo de Vinificação

Processo de Vinificação

Processo de Vinificação e Envelhecimento do Vinho do Porto

Esquema do Processo de Vinificação do Vinho do Porto

A Vinificação

Uvas

O Vinho do Porto é um vinho licoroso, cujo processo de vinificação difere do seguido pelos vinhos comuns principalmente por se dispor de um tempo muito curto de fermentação e maceração (2 a 3 dias) a que se alia o facto da adição de aguardente dever respeitar certas regras afinadas ao longo dos anos pela tradição e a prática.

Pisa

Nos processos tradicionais de vinificação, utilizados na elaboração de alguns tipos de vinho do Porto, após o desengace mais ou menos extenso, as uvas são esmagadas em lagares (tanques de pedra abertos, com uma altura máxima de 60 cm). Esta operaçãos, conhecida por pisa, é tradicionalmente feita por homens, pode também ser executada por modelos mecânicos que simulam a pisa a pé. Após o primeiro esmagamento ('corta'), o mosto em fermentação fica em repouso durante algumas horas e é novamente esmagado ('mexa') até à altura em que o mosto em fermentação é separado das partes sólidas (escorrimento) a fim de ser adicionada a aguardente.

CubasActualmente a maior parte dos vinhos é obtida em centros de vinificação, tecnologicamente muito avançados, que permitem associar a qualidade à rentabilidade. Nestes centros de vinificação, a maior parte das operações encontra-se mecanizada. Após o desengace total ou parcial, as uvas são esmagadas e lançadas para as cubas, onde fermentam 2 a 3 dias. Durante esse período efectuam-se remontagens sucessivas para maximizar a extracção da matéria corante.

De referir que o vinho branco pode divergir nos seus processos de elaboração. Segundo os processos tradicionais, é preparado com alguma maceração e neste caso envelhece em condições oxidativas. Para os vinhos brancos em que se pretende preservar a cor branco pálida e os aromas frescos, reduz-se o tempo de maceração.


Aguardentação ou Benefício

A aguardentação confere ao vinho características organolépticas peculiares, melhora a estabilidade químico-enológica, ao mesmo tempo que permite controlar o grau de doçura final do vinho. Assim, a fermentação deve prosseguir até ao momento em que a quantidade de açúcares não fermentados dá ao vinho a doçura desejada. O mosto em fermentação, é então separado das partes sólidas (escorrimento), passa para cubas onde é interrompida a fermentação por adição de aguardente vínica (benefício), em proporções determinadas.

No quadro I fornecem-se alguns valores que permitem observar como se determina o momento de adição de aguardente a um mosto em fermentação. Assim, por exemplo, para se obter um Vinho do Porto com álcool a 19% vol. e com a doçura correspondente a 2º Baumé (Bé), a fermentação deve ser interrompida, pela adição de aguardente, no momento em que o mosto em fermentação apresentar uma massa volúmica (p20) de 1,0296. Nessa altura, devem ser adicionados 83 litros de aguardente a 467 litros de mosto, ficando o vinho licoroso com 76 gramas de açúcares residuais por litro de vinho (vinho meio-seco).

 

Exemplos de obtenção de Portos com doçuras variáveis
Características do Mosto : P20 = 1,0986, Açúcares = 231g/l (12,9 ºBé) e
Álcool em potência = 13,6 %vol.

 

Vinho Final
P20 no
momento
da adição AD
Proporções (litros)
Vinho Licoroso
Alcool
p20
ºBé
Mosto
AD
Álcool de fermentação
Açúcares (g/l)
19
1,0259
4
1,0526
448
102
4,6
113
19
1,0186
3
1,0405
458
92
6,0
94
19
1,0116
2
1,0296
467
83
7,4
76
19
1,0046
1
1,0191
476
74
8,7
58
19
0,9997
0
1,0092
486
64
9,8
41

LaboratórioÉ determinante fazer-se uma escolha criteriosa do tipo de aguardente a aplicar no benefício, já que a sua composição química e o seu potencial aromático são fundamentais para a obtenção de um Vinho do Porto de alta qualidade.

O Instituto do Vinho do Porto aplica um esquema de controlo rigoroso a todos os lotes de aguardente vínica que irão ser utilizados na produção do Vinho do Porto. O controlo qualitativo é realizado através da análise laboratorial e sensorial.

 
Portal do Governo Ministrio da Agricultura QRENCompete