Logótipo IVDP
Wines of Portugal
Loja do Porto
Follow me on Twitter
Facebook
Mapa do site
Saphety
O IVDP é membro do “Center for Wine Origins” nos Estados Unidos.
Símbolo de Acessibilidade à Web [D]
Em conformidade com o nível 'AA' das WCAG 1.0 do W3C
Página Inicial > Informação > Regulamentação > Nacional

Nacional

Despacho conjunto n.º 59/2004, de 5 de Fevereiro de 2004

Despacho conjunto n.º 59/2004. - Nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 278/2003, de 6 de Novembro, após consulta às profissões, são nomeados o presidente e os vogais do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, como a seguir se indica:
Engenheiro Jorge Nicolau da Costa Monteiro - presidente.
Engenheiro Jorge Manuel Morais Alves Dias - vogal.
Mário Joaquim Mendonça de Abreu e Lima - vogal.

As presentes nomeações, fundamentadas na reconhecida aptidão dos visados, têm ainda como suporte os respectivos currículos.

O presente despacho produz efeitos a partir do dia 20 de Janeiro de 2004.

20 de Janeiro de 2004. - O Primeiro-Ministro, José Manuel Durão Barroso. - O Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Armando José Cordeiro Sevinate Pinto.

Curriculum vitae de Jorge Nicolau da Costa Monteiro
Data de nascimento - 6 de Setembro de 1951.
Naturalidade - Espinho.
Formação académica - licenciatura em Engenharia Electrotécnica pela Universidade do Porto, concluída em 1975.
Actividade profissional:
Desde 1999 - presidente do Instituto do Vinho do Porto;
De 1996 a 1999 - vice-presidente da Comissão de Coordenação da Região do Norte, coordenando a área económica;
Coordenador do PRODOURO - Programa de Desenvolvimento do Douro;
De 1991 a 1996:
Director-geral da NET - Novas Empresas e Tecnologias, S. A.(BIC - Business and Innovation Centre do Porto);
Gerente de várias empresas em representação da NET;
Director executivo da APGEI, Associação Portuguesa de Gestão e Engenharia Industrial;
Director da APPEC, Associação Portuguesa de Produtores de Energia em Co-Geração (COGEN Portugal);
De 1988 a 1991:
Gestor de participações da SPR - Sociedade Portuguesa de Capital de Risco, S. A, pertencente ao grupo BPA;
Administrador de várias empresas em representação da SPR;
De 1987 a 1988 - Philips Portuguesa, Divisão Industrial de Ovar, Departamento TEO, Technical Eficiency and Organization;
De 1981 a 1987 - quadro da Renault Portuguesa, Fábrica de Cacia, Departamento de Métodos Industriais;
De 1976 a 1983 - técnico responsável por projecto e execução de instalações eléctricas, inscrito na Direcção-Geral da Energia;
De 1976 a 1981 - professor do ensino secundário, leccionando disciplinas da área de Electrotecnia.

Curriculum vitae de Jorge Manuel Morais Alves Dias
Jorge Manuel Morais Alves Dias, portador do bilhete de identidade n.º 3988444, emitido pelo Arquivo de Identificação de Vila Real em 27 de Dezembro de 2001, filho de Manuel António Alves Dias e de Carolina Correia de Morais Alves Dias, nasceu em 26 de Agosto de 1961, na freguesia de São Miguel de Lobrigos, concelho de Santa Marta de Penaguião, distrito de Vila Real.
Licenciou-se em Engenharia Agrícola em 1986, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, tendo efectuado provas de aptidão pedagógica e capacidade científica em 1989 na mesma Universidade.
De 1989 a 1991, efectuou diversos cursos e estágios na École Nationale Supérieur Agronomique de Montpellier, na École National des Ingénieurs des Travaux Agricoles e no Institut National de Recherches Agronomiques de Bordéus.
No âmbito da actividade académica, para além de ter realizado diversos trabalhos técnico-pedagógicos e científicos e publicado mais de duas dezenas de trabalhos, desempenhou as seguintes funções:
Assistente da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro nos Cursos de Engenharia Agrícola e Enologia (1989-1995);
Membro do conselho pedagógico e do conselho científico do Departamento de Fitotecnia e Engenharia Rural da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (1991-1993);
Assistente Estagiário na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro nos Cursos de Engenharia Agrícola e Enologia (1986-1989);
Monitor no Instituto Universitário de Trás-os-Montes e Alto Douro (1985-1986).
De 1993 a 1997, foi responsável pela instalação e funcionamento dos serviços do Instituto do Vinho do Porto na região do Douro, tendo desempenhado, entre outras, as seguintes funções:
Coordenador da comissão técnica para elaboração do Estatuto da Região Demarcada do Douro (RDD) e revisão do método de pontuação das parcelas com vinha da RDD (1997-1998);
Membro do grupo de trabalho de elaboração do estudo técnico-funcional da CIRDD (1995-1996) e da equipa de trabalho para o arranque daquela comissão (1995-1997);
Membro do grupo de peritos nacionais da vinha da comissão nacional do Office International de la Vigne et du Vin (CNOIV) (1996-1997);
Membro da comissão de acompanhamento do mercado vitivinícola do IVV (1996-1997);
Membro do conselho científico do Centre de Recherches pour la Viticulture de Montagne et en Forte Pente (CERVIM) (1994-1997);
Delegado, em representação de Portugal, no Joint Committee Vins EC/Austrália, em Camberra, Austrália (1996).
De 1997 a 2002, integrou a direcção da SPIDOURO - Sociedade de Promoção de Empresas e Investimento do Douro e Trás-os-Montes, S. A., tendo coordenado a elaboração de diversos projectos de investimento do sector agro-industrial e de animação turística.
Desde Abril de 2002, é chefe do Gabinete do Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural.

Curriculum vitae de Mário Joaquim Mendonça de Abreu e Lima
Idade - 52 anos.
Data de nascimento - 20 de Outubro de 1951.
Naturalidade - Porto.
Nacionalidade - portuguesa.
Residência - Casa da Arcã, Largo do Dr. Vieira, 8, 5070-026 Alijó.
Estado civil - casado.
Serviço militar - 2 anos, em Timor.
Bilhete de identidade n.º 2733519.
Número de contribuinte - 131516566.
1976-1990 - presidente da Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães.
Em 1979 - membro do grupo de trabalho do Plano Integrado de Saúde para os Distritos de Vila Real e Bragança.
1979-1996 - administrador da Sociedade Agrícola Gama e Mendonça, S. A.
1979-1982 - membro do Conselho Regional de Segurança Social do Distrito de Bragança.
1980-1983 - membro do Conselho Nacional de Alfabetização e Educação de Base de Adultos.
1983-1990 - fundador e vice-presidente da Associação de Municípios da Terra Quente Transmontana.
Em 1983 - candidato a deputado pelo distrito de Bragança pela Aliança Democrática e membro efectivo do Parlamento durante um curto período.
1984-1989 - membro do conselho directivo do Centro de Estudos e Formação Autárquica desde 1984 e posteriormente do seu conselho geral.
1985-1986 - membro do conselho geral da ANMP - Associação de Municípios Portugueses.
1986-1991 - membro do conselho directivo da ANMP e coordenador da Comissão Especializada de Desenvolvimento Social e Económico, a partir de 1987 e até 1991.
1985-1990 - secretário-geral da Assembleia Distrital de Bragança.
1987-1990 - membro da Conferência Permanente dos Poderes Regionais e Locais do Conselho da Europa.
1987-1991 - vice-presidente da Assembleia Geral do CAICA - Complexo Agro-Industrial do Cachão, S. A.
Desde 1990 - presidente do conselho de administração da GRANICAR - Granitos de Carrazeda, S. A. (empresa privada).
Em 1991 candidato a deputado pelo CDS-PP como cabeça de lista do distrito de Bragança.
1995-1998 - presidente da direcção da CCAM - Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, S. A., de Carrazeda de Ansiães.
1995-2001 - membro da direcção da CAP - Confederação de Agricultores de Portugal.
Desde 2001 - vice-presidente da mesma Confederação.
1995-2000 - membro do Conselho de Viticultores da Região Demarcada do Douro.
1997-2003 - membro da direcção da ADH - Associação do Douro Histórico, unidade de gestão do Programa LEADER.
Desde 2002 - vereador da Câmara Municipal de Vila Flor.
Desde 2002 - membro da Comissão Política Nacional do CDS-PP.
Desde 2003 - presidente do conselho de administração da AIN - Agro-Industrial do Nordeste, S. A.

 
Ministério da Agricultura QRENCompete